Login

Quinta de Chocapalha com novas colheitas para o verão

Mar da Palha e Quinta de Chocapalha

O Quinta de Chocapalha 2017 branco e o Mar da Palha 2016 branco são as novidades da Quinta de Chocapalha.
 
O Quinta de Chocapalha branco é um blend feito a partir das vinhas mais velhas da propriedade e de parcelas específicas e o Mar da Palha branco é o estilo mais internacional, mostrando a diversidade da Quinta e a influência do Atlântico.
 
“O blend Quinta de Chocapalha Arinto, Viosinho e Verdelho é um vinho extremamente fresco, com notas cítricas, florais e tropicais. Na boca, tem boa acidez, elegante e um final de boca persistente. Este branco é composto por 80% Viosinho, 10% Arinto e 10% Verdelho”, referem os produtores.
 
Em relação ao Mar da Palha, referem: “é um monoscasta 100% Sauvignon Blanc, apresentando uma grande complexidade aromática com predominância de notas tropicais com algumas notas vegetais. Na boca, é um vinho muito equilibrado, com boa intensidade e frescura”.
 
Os valores de PVP variam entre os 6,80€ para o Mar da Palha e os 7,50€ para o Quinta de Chocapalha Branco.
 
A Quinta de Chocapalha situa-se na Aldeia Galega, em Alenquer, região demarcada de Lisboa é referida desde o séc. XVI pelas suas vinhas e vinhos. Pertenceu, desde os começos do séc. XIX, a Constantino O`Neil, que mais tarde a doou a Diogo Duff, fidalgo escocês muito estimado de El-Rei D. João VI que o condecorou com a comenda de «Torre e Espada».
 
A Quinta de Chocapalha permaneceu na posse da família Duff até à década de oitenta do século passado, altura em que foi adquirida por Alice e Paulo Tavares da Silva. O casal investiu na restruturação e replantação total dos 45 hectares de vinha e na adega e introduziu novas técnicas de cultivo com o intuito de dar continuidade às antigas tradições.
 
Só na vindima de 2000, momento em que as vinhas atingiram a sua maturidade e qualidade pretendida, decidiu-se proceder ao engarrafamento dos melhores vinhos aí produzidos. Nessa altura, Sandra Tavares da Silva, filha dos proprietários, desafiou os pais a começarem a produzir vinho com as melhores uvas aqui produzidas. A direção técnica passa então a ser assegurada por Sandra Tavares da Silva.