Login

Há novos ‘Cheda’ nas garrafeiras

Vinhos Cheda Foto de Goncalo Villaverde
 
‘Cheda Riesling’ é a grande novidade do produtor de vinhos Lavradores de Feitoria. Da colheita de 2014, é um branco monovarietal feito única e exclusivamente com uvas Riesling. A esta estreia junta-se novas colheitas de outras referências: ‘Cheda Reserva branco 2016’, ‘Cheda tinto 2016’ e ‘Cheda Reserva tinto 2015’.
 
A marca Cheda nasceu em 2004, com um tinto, e esteve no mercado até 2010. Em 2014 foi relançada com uma nova imagem e quatro vinhos: branco, rosé, tinto e Reserva tinto. Em 2016, foi a vez do lançamento do ‘Cheda Reserva branco’. O ano de 2017 assinala a renovação do perfil dos vinhos e a chegada de uma nova referência, a monocasta de Riesling. O ‘Cheda Riesling 2014’ é feito a partir de uvas provenientes de uma vinha de casta única com cerca de 10 anos. “Um branco que denota delicadeza e complexidade no nariz, de onde sobressaem notas de limão e alguma toranja e pêssego, e um toque apetrolado característico da casta. Na boca é fresco e mineral, apresenta sabores a fruta, como pêra e alperce, suportados por uma boa acidez, o que lhe proporciona um excelente equilíbrio. Fica a promessa de uma boa evolução” refere o produtor em comunicado.
 
A colheita de 2016 de ’Cheda Reserva branco’ apresenta um novo perfil:  “é suave e bastante complexo, apresenta toque de baunilha, evoluindo para fruta branca madura, como a pêra e o alperce. Na boca é muito saboroso e equilibrado, com destaque para sabores a fruta fresca, combinados com paladares de frutos secos, características que comprovam a presença das castas Malvasia Fina, Viosinho e Gouveia”.
 

O ‘Cheda Reserva tinto 2015’ é feito a partir das castas Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz provenientes de vinhas com mais de 30 anos. De um vermelho opaco, no nariz são nítidas a fruta vermelha e madura, como a amora silvestre e a cereja, e o cassis. A madeira está bem integrada, assentando na discrição, factor que lhe confere elegância, complexidade e equilíbrio. Na boca, apresenta-se como um vinho bem estruturado e elegante, com taninos suaves e uma acidez equilibrada, com notas de fruta madura. O final de boca, é longo e persistente.
 
O ‘Cheda tinto 2016’ é uma nova colheita e um novo perfil demarcados por castas oriundas de vinhas com idades compreendidas entre os 25 e os 30 anos: Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz. Nas notas de prova sobressai o vermelho vivo intenso, bem como a elegância, a fruta madura, do tipo cereja e a ameixa, e a frescura. Estas características são, no sabor, complementadas por taninos suaves e uma excelente acidez, resultando num vinho muito equilibrado.
 
Criado em Setembro de 2000, Lavradores da Feitoria é um projecto que resultou da união de quinze lavradores, proprietários de dezoito quintas distribuídas pelos melhores terroirs do Douro, repartidas pelas três sub-regiões: Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior.