Login

Já inaugurou o Segundo Muelle

Interior do Segundo MuelleO Segundo Muelle, o restaurante 100% peruano que chega a Portugal com o esforço do grupo Portugália Restauração, já abriu portas na cidade de Lisboa.

Com um cardápio composto unicamente peruanos, são visíveis as influências de outras gastronomias, de países migrados ao longo dos anos para o Peru, como é o caso da cozinha espanhola, africana, chinesa, japonesa e italiana, originando uma culinária de fusão.

Dividida por influências, na ementa do Segundo Muelle o cliente vai poder encontrar pratos Chifa (fusão da cozinha chinesa com peruana), Nikei (fusão da gastronomia japonesa com peruana), mediterrânica (influencia espanhola e italiana), Crioula (influencia africana) e comidas nativas, onde o rei é o Ceviche - prato de origem peruana que tem por base o peixe cru marinado em sucos de citrinos.

A acompanhar estes pratos, o Segundo Muelle dispõe ainda de uma ementa de cocktails peruanos, confecionados com o Pisco, com destaque para o Pisco Sour, um batido com pisco quebranta, sumo de lima e clara de ovo.

Para Daniel Manrique, fundador e responsável máximo do Segundo Muelle, “Estamos muito contentes por conseguirmos fazer com que o Segundo Muelle chegue a novos territórios, a novas culturas e a novos públicos. Era nosso objetivo entrar no mercado português e, felizmente, o Grupo Portugália Restauração, decidiu apostar em nós. Esperamos juntos conseguir crescer e alcançar muito bons resultados.”

Para Francisco Carvalho Martins, administrador do grupo Portugália Restauração, “Acreditamos que esta será uma aposta ganha no setor da Restauração em Portugal. Há já algum tempo que procurávamos um conceito diferenciador, criativo, e o Segundo Muelle é a aposta certa.”


Como nasce o Segundo Muelle…

Natural do Perú, Daniel Manrique sempre foi um apaixonado pelo mar, por surf e pela pequena vila onde, desde pequeno, passava férias com a sua família. Desde cedo se acostumou a manusear e a degustar o peixe mais fresco e de melhor qualidade que provinha das águas da praia do sul e que abastecia todo o distrito de San Bartolo.

Na praia com o mesmo nome aprendeu a pescar, e desde cedo, com 15 anos apenas, começou a demonstrar a sua grande paixão pelos ingredientes frescos, pelo menear do peixe acabado de pescar e aí desenvolveu o sonho de que um dia viria a ter um restaurante, onde não só serviria pratos por si confecionados com o peixe da região, como também os pratos de ceviche que a sua mãe preparava.

Anos mais tarde, enquanto dava os primeiros passos na faculdade, em parceria com um amigo e colega decide abrir um restaurante, numa pequena garagem em San Isidro, Lima, de apenas 40 metros quadrados e apenas quatro mesas, onde dava a provar as suas criações aos amigos que o visitavam. Com pouco mais de 20 anos e sem qualquer experiência no ramo da restauração, Daniel Manrique batiza este espaço com o nome de Segundo Muelle, em honra ao segundo molhe de San Bartolo onde havia passado grande parte da sua infância e adolescência.

A criatividade, o tempero especial dos pratos de Daniel e o amor que o próprio lhes confere fizeram soar o nome “Segundo Muelle” por toda a cidade de Lima e assim aumentar o potencial de negócio desta marca, sem nunca descartar a paixão pelo mar, pelos pratos e pela cidade de origem.

Com muita garra, paixão e criatividade Daniel Manrique e o Segundo Muelle conseguiram chegar onde se encontram hoje, contando com mais de 17 restaurantes, em 6 países, entre os quais se encontra agora Portugal.